Salvação, o que é? Por que devo ser salvo?

Salvação é uma milagrosa transformação espiritual, operada na alma e na vida — no caráter — de toda a pessoa que, pela fé, recebe Jesus Cristo como seu único Salvador pessoal (Leia os textos na sua Bíblia: Ef 2.8,9; 2 Co 5.17; Jo 1.12; 3.5).

“Porque pela graça sois salvos, por meio da fé; e isso não vem de vós; é dom de Deus. Não vem das obras, para que ninguém se glorie”. (Ef 2.8,9)

“Assim que, se alguém está em Cristo, nova criatura é: as coisas velhas já passaram; eis que tudo se fez novo”. (2 Co 5.17)

“Mas a todos quantos o receberam deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus: aos que creem no seu nome”. (Jo 1.12)

“Jesus respondeu: Na verdade, na verdade te digo que aquele que não nascer da água e do Espírito não pode entrar no Reino de Deus”. (Jo 3.5)

Observe as afirmações bíblicas “é nova criatura” (conversão) e “tudo se fez novo” (significam nova vida, novo e íntegro caráter).

Não se trata apenas de livramento da condenação do inferno; a salvação abarca todos os atos e processos redentores, bem como transformadores da parte de Deus para com o ser humano e o mundo (isto é, a criação), através de Jesus Cristo. (Rm 13.11; Hb 7.25; 2 Co 3.18; Ef 3.19).

Pessoalmente — isto é, em relação à pessoa —, a salvação que Cristo realiza abrange:

A regeneração espiritual, aqui e agora (Tt 3.5; 2 Co 3.18);

A redenção do corpo, no futuro (Rm 8.23; I Co 15.44);

E a glorificação integral, também no futuro (Cl 3.4; E f 5.27).

A salvação é tudo o que Jesus realizou e ensinou para levar a humanidade pecadora à comunhão com Deus.

Trata-se da redenção do ser humano do poder do pecado (I Pe 1.18,19).

É, ainda, a libertação do cativeiro espiritual (Rm 8.2).

É a saída do pecador dentre o poder das trevas do pecado (Cl 1.13).

E, finalmente, é o retorno do exílio espiritual do pecador para Deus (Ef 2.13).

Como se vê, o homem não pode efetuar a sua salvação, nem ao menos ajudar nisso (E f 2.8,9; Tt  2.11; Jn 2.9b). Daí ter dito o salmista: “A salvação vem do Senhor; sobre o teu povo seja a tua bênção” (S I 3.8).

A salvação é pela graça de Deus, e não por nosso esforço próprio, conquanto os salvos sejam chamados para a prática das boas obras (E f 2.10).

A salvação é chamada de novo nascimento (Jo 3.5) e de ressurreição (Cl 3.1).

Não obstante o pecador venha a desejar a “tão grande salvação”, é Jesus Cristo quem o ressuscita dentre os mortos no pecado e o faz nascer de novo.

Afinal, um bebê nada pode fazer para nascer, assim como um morto nada pode fazer para ressuscitar — toda ajuda tem de vir de fora.

Isso é salvação em resumo.

A SALVAÇÃO EXPERIMENTAL TEM TRÊS TEMPOS (NÃO ASPECTOS): PASSADO, PRESENTE E FUTURO.

No passado. Justificação; é o que Deus fez por nós. É a salvação da pena do pecado. Ela é referida na Bíblia como ocorrida no passado da vida cristã.

Veja os textos da Bíblia:

… haveis sido justificados em nome do Senhor Jesus e pelo Espirito do nosso Deus ( l Co 6.11).

E aos que predestinou, a esses também chamou; e aos que chamou, a esses também justificou… Quem intentará acusação contra os escolhidos de Deus? É Deus quem os justifica (Rm 8.30,33).

Sendo, pois, justificados pela fé, temos paz com Deus por nosso Senhor Jesus Cristo (Rm 5 .1).

Porque todos pecaram e destituídos estão da glória de Deus, sendo justificados gratuitamente pela sua graça, pela redenção que há em Cristo Jesus (Rm 3.23,24).

Sabendo que o homem não é justificado pelas obras da lei, mas pela fé em Jesus Cristo, temos também crido em Jesus Cristo, para sermos justificados pela fé de Cristo e não pelas obras da lei, porquanto pelas obras da lei nenhuma carne será justificada (G l 2.16).

No presente. Santificação em conduta, diante do mundo. É a salvação do poder do pecado. E aquilo que Deus faz em nós agora. Uma frutinha pode ser perfeita, e não ser madura.

Ora, amados, pois que temos tais promessas, purifiquemo-nos de toda imundícia da carne e do espírito, aperfeiçoando a santificação no temor de Deus (2 Co 7.1).

E o mesmo Deus de paz vos santifique em tudo; e todo o vosso espírito, e alma, e corpo sejam plenamente conservados irrepreensíveis para a vinda de nosso Senhor Jesus Cristo (l Ts 5.23).

Aquele que diz que está nele também deve andar como ele andou (l Jo 2.6).

operai a vossa salvação com temor e tremor (Fp 2.12).

No futuro. Glorificação; é o que Deus fará conosco na glória celestial (I Pe 1.5).

Será a salvação da presença do pecado. Trata-se da nossa inteira “conformação” com Jesus Cristo.

Amados, agora somos filhos de Deus, e ainda não é manifesto o que havemos de ser. Mas sabemos que, quando ele se manifestar, seremos semelhantes a ele; porque assim como é o veremos ( l Jo 3.2).

… nós mesmos, que temos as primícias do Espírito, também gememos em nós mesmos, esperando a adoção, a saber; a redenção do nosso corpo (Rm 8.23).

E isto digo, conhecendo o tempo, que é já hora de despertarmos do sono; porque a nossa salvação está, agora, mais perto de nós do que quando aceitamos a fé (Rm 13.11).

E, como aos homens está ordenado morrerem uma vez, vindo, depois disso, o juízo, assim também Cristo, oferecendo-se uma vez, para tirar os pecados de muitos, aparecerá segunda vez, sem pecado, aos que 0 esperam para a salvação (Hb 9.27,28).

COMO RECEBER A SALVAÇÃO?

Há três passos necessários para um pecador receber a gloriosa salvação em Cristo.

Primeiro, reconhecer mediante o evangelho que é pecador (Leia Rm 3.23).

Segundo, confiar em Jesus como o seu único Salvador (At 16.31).

Terceiro, confessar que o Senhor Jesus é o seu Salvador pessoal, “Visto que…com a boca se faz confissão para a salvação” (Rm 10.10).

A obediência honesta do pecador movido por Deus a esses três passos resultará na sua salvação, operando o Espírito Santo e a Palavra.

Isso não falha; não se trata de uma mera teoria; é a verdade de Deus sobre a salvação do pecador, revelada aos homens segundo a infalível Palavra de Deus e o testemunho da infinidade de salvos em Cristo por toda parte.

Vemos em Hebreus 2.3 uma cristalina verdade sobre a salvação: “… uma tão grande salvação”.

O que denota esta expressão? Ela diz respeito às riquezas imensuráveis da salvação; às bênçãos subsequentes a ela; à eternidade infinita dela; ao seu alcance imensurável; e à sua sublimidade.

O QUE SIGNIFICA PECADO?

No ser humano, o pecado, sediado na alma, domina a sua vontade e tem como instrumento orgânico o corpo humano.

O homem não é pecador primeiramente porque peca, mas peca porque é pecador. Ou seja, cada indivíduo é um pecador por natureza. Por isso, em Israel, quando uma mulher dava à luz, tinha de apresentar a Deus uma oferta pelo pecado (Lv 12.6; Lc 2.24).

Pelo que, como por um homem entrou o pecado no mundo, e pelo pecado, a morte, assim também a morte passou a todos os homens, por isso que todos pecaram (Rm 5.12).

Pecado é a causa da perdição do homem. Uma das palavras que significa “pecado” (gr. hamartia) denota tudo aquilo que não se conforma com a lei divina; não se alinha com ela (Rm 5.20; I Jo 3.4a; 5.17b).

As Escrituras citam 372 formas de pecado, e há centenas de outras não mencionadas na Bíblia. N a relação das obras da carne, lemos, no fim dela: “e coisas semelhantes a estas, acerca das quais eu vos declaro (…) que os que cometem tais coisas não herdarão o Remo de Deus” (G1 5.21).

Nas diversas admoestações bíblicas preventivas quanto ao pecado, existem várias outras modalidades implícitas de pecado, caso essas advertências forem descumpridas. Ê importante, aqui, termos em mente a definição de alguns dos termos originais para pecado, haja vista cada qual descrever um tenebroso aspecto da sua malignidade.

A palavra “transgressão” (hb. pesha‘ e gr. hamartema) denota quebra das leis divinas; significa transpor a fronteira da lei, do bem, da ordem, da decência: “O que encobre as suas transgressões nunca prosperará...” (Pv 28.13).

Outro termo para pecado é “iniquidade”, isto é, fora do prumo; fora de nível; do lado de fora; erro; afastar-se do certo; errar o alvo —  hb. hatta’t (Ez 18.20).

O termo iniquidade refere-se principalmente ao pecado do homem. No Novo Testamento, a palavra correspondente é hamartano (Rm 3.23). Neste versículo, “pecaram” é literalmente “erraram o alvo”. E este erro pode ser moral (2 Pe 2.18) ou na doutrina (I Jo 4.6b). Doutrina e moral devem andar juntas!

Já o vocábulo “pecado”, conforme se registra em Romanos 5.12 (״por um homem entrou o pecado [errar o alvo] no mundo”), diz respeito ao desvio do alvo por Deus traçado, previsto, determinado, que é a glorificação dEle. O pecado, pois, é um alvo que o ser humano acerta ao desviar-se do propósito verdadeiro, que é a glória de Deus (Rm 3.23).

O homem foi criado por Deus para viver na esfera divina, porém, ao pecar, sua natureza foi mudada, e a sua inclinação natural é somente para pecar, mesmo que não pareça assim. Pecar, por conseguinte, é o ser humano desviar-se de sua finalidade moral, que é exaltar a Deus, e somente a Ele.

Outros quatro termos, quanto aos principais significados de “pecado”, na Bíblia, são: “desobediência”, rebeldia, má vontade para com Deus e a sua lei; “incredulidade”, falta de confiança em Deus e de dependência dEle; “ilegalidade”, subversão, oposição à lei e à ordem divinas; e “erro”, afastamento das normas divinas estabelecidas.

A lei divina da reprodução segundo a sua espécie. Em Gênesis, vemos essa lei em evidência nos vegetais (Gn 1.11,12), nos animais (1.24,25) e no ser humano, após o pecado (5.3). O homem fora criado segundo a imagem de Deus (1.26), e não segundo a sua própria espécie!

Portanto, já nascemos espiritualmente contaminados (Rm 5.12), como disse o salmista: “Eis que em iniquidade fui formado, e em pecado me concebeu a minha mãe” (SI 51.5). O homem tem dentro de si uma natureza pecaminosa.

Por isso, todos nós precisamos ser participantes da natureza divina, mediante a conversão (2 Pe 1.4).

Porque aqueles [nossos país segundo a carne], na verdade, por um pouco tempo, nos corrigiam como bem lhes parecia; mas este [Deus Pai], para nosso proveito, para sermos participantes da sua santidade (Hb 12.10)

EVIDÊNCIAS DA SALVAÇÃO EXPERIMENTAL

São os testemunhos do Espírito em nosso interior (Rm 8.16);

Da Palavra de Deus (At 16.31);

Da nossa consciência (I Jo 3.19);

Da transformação da nossa vida (2 Co 5.17);

Dos frutos produzidos (M t 5.8; 7.16-20);

Da aversão ao pecado (I Jo 3.9);

Do cumprimento da doutrina (2 Jo v.9);

Do amor (e comunhão) fraternal (Jo 13.35);

E da vitória sobre o mundo (I Jo 4.5).

* Abreviações dos livros do Novo Testamento

Mt:       Mateus

Mc:      Marcos

Lc:       Lucas

Jo:       João

At:       Atos dos Apóstolos

Rm:     Romanos

1Co:    1ª Coríntios

2Co:    2ª Coríntios

Gl:       Gálatas

Ef:       Efésios

Fp:       Filipenses

Cl:       Colossenses

1Ts:     1ª Tessalonicenses

2Ts:     2ª Tessalonicenses

1Tm:   1ª Timóteo

2Tm:   2ª Timóteo

Tt:        Tito

Fm:     Filemom

Hb:      Hebreus

Tg:       Tiago

1Pe:    1ª Pedro

2Pe:    2ª Pedro

1Jo:     1ª João

2Jo:     2ª João

3Jo:     3ª João

Jd:       Judas

Ap:      Apocalipse


Seja o primeiro a comentar para "Salvação, o que é? Por que devo ser salvo?"


    Quer deixar seu comentário?

    Some html is OK